التوبة وشروطها

التوبة وشروطها

Descrição do Hajj (peregrinação maior). Conselho após o Ramadan. Regra sobre a Crença na Reencarnação. A fé aumenta e diminui de acordo com Ahl al-Sunnah wa'l-Jama'ah?. Iblis é um Jinn ou um Anjo?. O que é 'Aqidah?.

Descrição do Hajj (peregrinação maior)
Eu quero saber sobre Hajj detalhadamente.

Todos os louvores são para Allah.

O Hajj é um dos melhores atos de adoração. Ele é um dos pilares do Islam com o qual Allah enviou Muhammad e sem o qual o compromisso religioso de uma pessoa é incompleto.

A adoração não pode trazer uma pessoa mais perto de Allah e não pode ser aceita a menos que satisfaça duas condições:

1 - Sinceridade para com Allah somente, quer dizer, isto é feito para buscar o Semblante de Allah e a outra vida, e não é feito para se exibir, melhorar a reputação ou para ganhos mundanos.

2 - Seguir o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) em palavras e atos. Seguir o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) só se pode alcançar através do conhecimento da sua Sunnah.

Assim, aquele que quer adorar Allah fazendo qualquer ato de adoração - Hajj ou qualquer outra coisa - deve aprender os ensinamentos do Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) que dizem respeito àquilo, de modo que suas ações estarão de acordo com a Sunnah.

Vamos resumir nestas poucas linhas a descrição do Hajj como narrado na Sunnah.

Na resposta à pergunta n° 31819 já descrevemos a 'Umrah – por favor, consulte essa pergunta também.

Tipos de Hajj

Existem três tipos de Hajj: Tamattu’, Ifraad e Qiraan.

Tamattu’ significa entrar em ihram para ‘Umrah, apenas durante os meses de Hajj (os meses de Hajj são Shawwaal, Dhu'l-Qi'dah e Dhu'l-Hijjah, ver al-Sharh al-Mumti', 7/62). Quando o peregrino chega a Makkah ele realiza o tawaaf e saa'i para 'Umrah, e raspa a cabeça ou corta seu cabelo, e sai do ihram. Então, quando o dia da al-Tarwiyah, que é o 8° dia de Dhu'l-Hijjah, chega, ele entra em ihram para o Hajj somente, e faz todas as ações do Hajj. Então o Tamattu’ envolve uma 'Umrah completa e um Hajj completo.

Ifraad significa entrar em ihram para Hajj somente. Quando o peregrino chega a Makkah ele realiza o tawaaf al-qudum (tawaaf de chegada) e saa'i para o Hajj, mas ele não faz a barba ou corta o cabelo e não sai do ihram, ao contrário, ele permanece em ihram até sair dele após o apedrejamento do Jamarat al-'Aqabah no dia do Eid. Se ele atrasa o saa'i do Hajj até depois do tawaaf do Hajj, não há nada de errado com isso.

Qiraan significa entrar em ihram para 'Umrah e Hajj, os dois juntos. Ou entrar em ihram para 'Umrah primeiro, em seguida, incluir o Hajj nisso antes de iniciar o tawaaf do Hajj. Isso é feito com intenção de que seu tawaaf e saa'i sejam para ambos: Hajj e 'Umrah.

As ações feitas no Qiraan são as mesmas que aquelas feitas em Ifraad, exceto que o peregrino que faz o Qiraan tem um hadiy (sacrifício) para oferecer, enquanto que o peregrino que faz Ifraad não o tem.

O melhor destes três tipos de Hajj é Tamattu’. Este é o que o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) recomendou aos seus companheiros e pediu-lhes que fizessem. Mesmo no caso de uma pessoa que entrar em ihram para o Qiraan ou Ifraad, é altamente recomendável que ela mude sua intenção para ‘Umrah, e em seguida, complete a ‘Umrah e saia do ihram, então ela terá feito Tamattu’. Ela pode fazer isso após fazer o tawaaf al-qudum e saa'i - porque quando o Profeta (que a paz e bênçãos de Allah estejam sobre ele) fez tawaaf e saa'i durante a sua Peregrinação de Despedida, e seus companheiros estavam com ele, ele disse a todos que não tinham um animal para sacrifício (hadiy) que mudassem sua intenção e fizessem seu ihram para 'Umrah e cortassem o cabelo e saíssem do ihram, e ele disse: “Se não fosse por eu ter trago o hadiy comigo, faria o que eu ordenei que fizésseis.”

Ihram

O peregrino deve observar as Sunnahs do ihram que são mencionadas na pergunta acima referida, ou seja, fazer ghusl, passar perfume e rezar. Então, ele deve entrar em ihram depois de terminar a oração ou após embarcar em seu meio de transporte.

Portanto, se ele está fazendo Tamattu', ele deve dizer, "Labbaik Allaahumma bi' Umrah (Aqui estou, ó Allah, para a 'Umrah)."

Se ele está fazendo Qiraam, ele deve dizer: "Labbaik Allaahumma bi Hijjah wa 'Umrah (Aqui estou, ó Allah, para o Hajj e ‘Umrah)."

Se ele está fazendo Ifraad, ele deve dizer: "Labbayk Allaahumma Hajjan (Aqui estou, ó Allah, para o Hajj)."

Então, ele deve dizer: "Allaahumma haadhihi Hijjah laa riyaa'a fiha wa la sum'ah (Ó Allah, esta é uma peregrinação em que não há nenhuma exibição ou procura por reputação)."

Em seguida, ele deve recitar o Talbiyah como o Profeta (que a paz e bênçãos de Allah estejam sobre ele) fez: "Labbaika Allaahumma labbaik, Labbaika laa Sharika laka labbaik. Inna al-hamd wa'l-ni'mata laka wa'l-Mulk, laa sharika lak (Aqui estou, ó Allah, aqui estou. Aqui estou, Tu não tens parceiro, aqui estou. Em verdade todos os louvores e bênçãos são Teus, e toda a soberania, Tu não tens parceiro).”

A Talbiyah do Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) também incluía as palavras “Labbaika ilaah al-Haqq (Aqui estou, ó Deus da Verdade).”

Ibn 'Umar costumava adicionar à Talbiyah as palavras "Labbaaik wa sa'daika, wa'l-khair bi yadaika, wa'l-raghba' ilaika wa'l-'aml (Aqui estou e abençoado por Ti, e tudo de bom está em Tuas mãos, e o desejo e a ação são direcionados a Ti).”

Os homens devem elevar suas vozes ao dizer isto, mas uma mulher deve recitar de tal maneira que aqueles que estejam ao seu lado consigam ouvi-la, a menos que haja um homem no seu entorno, que não seja um de seus mahrams, neste caso ela deverá recitá-lo silenciosamente.

Se uma pessoa que está entrando em ihram teme algum obstáculo que possa impedi-la de completar sua peregrinação (tais como doença, um inimigo, impedimento para prosseguir a viagem, etc), então, ela deve estipular uma condição ao entrar em ihram, dizendo: "Se sou impedido então a saída do meu ihram será onde for impedido" – ou seja, se algo me impede de concluir minha peregrinação tais como doença ou atraso, etc, então sairei do meu ihram. O Profeta (que a paz e bênçãos de Allah estejam sobre ele) ordenou Dubaa'ah bint al-Zubair, quando ela queria entrar em ihram, mas estava doente, que estipulasse tal condição, e ele disse: "Sua condição é válida para com o seu Senhor." Narrado por al-Bukhari (5089) e Muslim (1207).

Se a pessoa estipula essa condição e acontece alguma coisa que a impeça de concluir sua peregrinação, então ela sai de seu ihram e não deve fazer nada (ou seja, oferecer um sacrifício em compensação).

Mas aquela que não teme que algum obstáculo a impeça de completar sua peregrinação não tem de estipular quaisquer condições, porque o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele), não estipulava condições, nem comandava a outros que o fizessem. Ao contrário, ele disse a Dubaa'ah bint al-Zubair que fizesse isso pois ela estava doente.

O Muhrim (pessoa que tenha entrado em ihram) deve recitar bastante a Talbiyah, especialmente quando as circunstâncias e os períodos mudam, como quando sobe a um lugar alto ou desce a um lugar baixo, ou quando a noite ou o dia aparecem. Depois disso, ele deve pedir a Allah por Sua boa vontade e pelo Paraíso, e buscar refúgio em Sua Misericórdia contra o Fogo.

A Talbiyah é prescrita na 'Umrah a partir do momento em que se entra em ihram até começar o Tawaaf. No Hajj é prescrito a partir do momento em que se entra em ihram até o apedrejamento do Jamarat al-'Aqabah, no dia do Eid.

Ghusl ao entrar em Makkah

Quando o peregrino se aproxima de Makkah, ele deve fazer ghusl antes de entrar, se possível, porque o Profeta (que a paz e bênçãos de Allah estejam sobre ele) fez ghusl antes de entrar em Makkah. Narrado por Muslim, 1259.

Então, quando ele entra no al-Masjid al-Haram, ele deve pisar com o pé direito em primeiro lugar, e dizer: "Bismillaah wa'l-salaatu wa'l-salaam 'ala Rassul-Allah. Allaahumma ighfir li dhunubi waftah li abwaab rahmatika. A'udhu Billaah il-'Azim wa bi wajhih il-Karim wa bi sultaanih il-'qadim min al-Shaytaan il-rajim (Em nome de Allah, e a paz e as bênçãos estejam com o Mensageiro de Allah. O Allah, perdoa-me os meus pecados e abre-me as portas da Tua misericórdia. Eu busco refúgio em Allah, o Todo-Poderoso, e em Seu nobre Semblante e Seu eterno poder contra o amaldiçoado Satanás)." Então ele deve ir para a Pedra Negra, a fim de iniciar o tawaaf... A descrição do Tawaaf é dada na questão n° 31819.

Em seguida, depois que ele fizer o tawaaf e rezar duas rak'ahs, deve ir para o Mas'a (lugar para fazer saa'i) e realizar o saa'i entre Al-Safa e Al-Marwah. A descrição do saa'i é dada na questão n° 31819.

O peregrino que está fazendo o Tamattu’ deve fazer o saa'i para 'Umrah; aqueles que estão fazendo Ifraad e Qiraan devem fazer o saa'i para Hajj, e eles podem adiá-lo até depois do Tawaaf al-Ifaadah.

Raspar a cabeça ou cortar o cabelo

Quando o peregrino que está fazendo Tamattu’ e completa sete voltas do saa'i, ele deve raspar a cabeça, se for um homem, ou cortar o cabelo. Se ele raspa a cabeça, deve raspar toda a sua cabeça, e se ele corta, deve cortar de todo o cabelo da cabeça. Raspar é melhor do que cortar porque o Profeta (que a paz e bênçãos de Allah estejam sobre ele) fez du'aa três vezes para aqueles que rasparam suas cabeças e uma vez para aqueles que cortaram o cabelo. Narrado por Muslim, 1303.

Mas se o período de Hajj está muito próximo, a ponto de não haver tempo para o cabelo voltar a crescer, então é melhor cortar o cabelo da pessoa neste momento, de modo que haverá um pouco de cabelo restante para raspar durante o Hajj. A evidência para isso é o fato de que o Profeta (que a paz e bênçãos de Allah estejam sobre ele) ordenou a seus companheiros, durante a Peregrinação da Despedida, a cortar o cabelo durante a 'Umrah, porque eles chegariam na manhã do dia 4 de Dhu'l -Hijjah.

As mulheres devem cortar, do seu cabelo, o comprimento de uma ponta do dedo.

Com estas ações, a 'Umrah de quem está fazendo Tamattu' é concluída, após isso ele deve sair do ihram completamente e pode fazer tudo o que aqueles que não estão em ihram fazem, como usar roupas normais, perfume, ter relações sexuais com suas esposas, etc.

Aqueles que estão fazendo Ifraad ou Qiraan não devem raspar a cabeça ou cortar o cabelo ou sair do ihram, ao contrário, devem permanecer em ihram até saírem dele no dia do Eid, depois de apedrejar o Jamarat al-'Aqabah e raspar suas cabeças ou cortar seus cabelos.

Então, quando chega o dia da al-Tarwiyah, que é o oitavo dia de Dhu'l-Hijjah, aquele que está fazendo Tamattu’ deve entrar em ihram para o Hajj na parte da manhã, desde o local onde está em Makkah. É mustahabb para ele fazer o mesmo que fez ao entrar em ihram para 'Umrah, ao entrar em ihram para o Hajj, ou seja, fazer ghusl, passar perfume e rezar. Ele deve formar a intenção de entrar em ihram para o Hajj e recitar a Talbiyah, e dizer: "Labbaik Allaahumma Hajjan (Aqui estou, ó Allah, para o Hajj).”

Se a pessoa teme algum obstáculo que possa impedi-la de completar seu Hajj, ela deve estipular uma condição, dizendo: "Se sou impedido, então a saída do meu ihram será onde for impedido." Se a pessoa não teme qualquer obstáculo, então ela não deve estipular tal condição. É mustahabb recitar a Talbiyah em voz alta até começar a apedrejar o Jamarat al-'Aqabah, no dia do Eid.

Indo para Mina

Em seguida, o peregrino deve sair para Mina e rezar o dhuhr , ‘asr, maghrib, ‘isha e fajr lá, encurtando as orações, mas não juntando-as, porque o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) costumava encurtar suas orações em Mina, entretanto não as juntava. Encurtar as orações significa fazer as orações de quatro Rak'ah em duas raka'ahs. O povo de Makkah e os outros devem encurtar suas orações em Mina, ‘Arafah e Muzdalifah porque o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) liderou o povo em oração durante a Peregrinação da Despedida e havia pessoas de Makkah com ele, e ele não lhes disse para oferecer suas orações na íntegra. Se tivesse sido obrigatório para elas fazê-lo, ele lhes teria dito para fazê-lo como ele fez no dia da conquista de Makkah. Mas desde que a cidade cresceu e incorporou Mina, (este local) tornou-se uma região de Makkah, então o povo de Makkah não deve encurtar suas orações lá.

Indo para 'Arafah

Quando o sol nasce, no dia de 'Arafah, o peregrino viaja de Mina para 'Arafah e pára em Namirah até o horário do dhuhr (Namirah é um lugar pouco antes de 'Arafah), se consegue fazê-lo. Se ele não consegue, não importa, porque permanecer em Namirah é sunnah, e não é obrigatório. Quando o sol passa o seu zênite (ou seja, quando o tempo para a oração do dhuhr começa), ele deve rezar o dhuhr e ‘asr, duas rak'ahs cada, e juntá-las no horário do dhuhr, como o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele) fez, de modo a deixar bastante tempo para fazer du'aa.

Em seguida, após a oração, ele deve dedicar seu tempo para fazer dhikr e du'aa, suplicar a Allah, e rezar como desejar, levantando as mãos e voltado na direção da qiblah mesmo que a montanha de 'Arafah esteja atrás dele, porque a Sunnah é se voltar em direção à qiblah, não à montanha. O Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) ficou ao lado da montanha e disse: "Eu estou aqui, mas toda a 'Arafah é lugar para permanecer."

A maior parte das súplicas do Profeta nesse grande lugar onde se permanece em pé foi: "La ilaha ill-Allah wahdahu laa sharika lah, lahu'l-mulk, wa lahu'l-hamd, wa huwa 'ala kulli shay'in qadir (não há deus além de Allah, sem parceiro ou associado; Seu é o domínio, todo o louvor é devido a Ele, e Ele é capaz de fazer todas as coisas)".

Se o peregrino ficar cansado e quiser fazer uma pausa – conversando com seus companheiros sobre coisas úteis ou lendo algum livro útil, especialmente as coisas que têm relação com a generosidade e magnanimidade de Allah, a fim de aumentar suas esperanças neste dia – isto é bom. Depois, ele pode voltar para suas súplicas a Allah e rezar para Ele. E deve se esforçar para tirar o máximo do final do dia, fazendo du'aa. O melhor du'aa é aquele feito no dia de 'Arafah.

Indo para Muzdalifah

Quando o sol se põe, o peregrino deve ir para Muzdalifah. Quando ele chega lá, deve rezar o Maghrib e 'Isha com um adhaan e dois iqaamahs. Se ele teme que ele não chegará a Muzdalifah antes da meia-noite, deve rezar no caminho, porque não é permitido atrasar a oração do ‘Isha após a meia-noite.

Ele deve passar a noite em Muzdalifah, em seguida, quando a aurora vier, deve rezar o Fajr cedo, com o adhaan e iqaamah, e depois com a cabeça (voltada) para al-Mash'ar al-Haram (que é o local da mesquita em Muzdalifah) proclamar a unicidade e grandeza de Allah (dizendo la ilaha ill-Allah e Allaahu akbar), e fazendo du'aa como quiser, até que clareie mais (ou seja, quando a luz do dia aparecer, antes que o sol tenha realmente despontado). Se não é fácil ir para al-Mash'ar al-Haram, ele deve fazer du'aa onde estiver, porque o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) permanecia lá e todos os lugares de Muzdalifah são para se permanecer. Quando estiver recitando dhikr e fazendo du'aa deve se voltar à qiblah e levantar as mãos.

Indo para Mina

Quando clarear bastante, antes do sol nascer, o peregrino deve ir para Mina e se apressar através de Wadi Mahsar (que é um vale entre Muzdalifah e Mina). Quando ele chega a Mina deve apedrejar o Jamarat al-'Aqabah, que é o último e mais próximo a Makkah, lançando sete pedras, uma após outra, cada uma das quais deve ser aproximadamente do tamanho de uma fava de feijão, dizendo "Allaahu akbar", a cada lançada. (A Sunnah no apedrejamento do Jamarat al-'Aqabah é voltar-se para o Jamarah com Makkah à sua esquerda e Mina à sua direita). Quando ele tiver terminado este apedrejamento, deve abater seu animal de sacrifício, em seguida, raspar a cabeça ou cortar o cabelo se for do sexo masculino; mulheres devem cortar o comprimento de uma ponta do dedo de seu cabelo. Esta é a primeira etapa de saída do ihram, na qual se torna lícito fazer tudo, exceto ter relações sexuais com a esposa. Em seguida, o peregrino deve voltar a Makkah e fazer o tawaaf e saa'i para o Hajj. Então, vem a segunda etapa de saída do ihram, após esta tudo o que era proibido, enquanto em ihram, torna-se permitido.

A Sunnah é colocar perfume quando se quer ir para Makkah para fazer tawaaf após o apedrejamento do jamarat e após raspar a cabeça, porque ‘A’isha (que Allah esteja satisfeito com ela) disse: "Eu costumava passar perfume no Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele) antes de entrar em ihram e quando ele saía do ihram, antes de circundar a Casa." Narrado por al-Bukhari, 1539.; Muslim, 1189.

Em seguida, após o tawaaf e saa'i, o peregrino deve voltar a Mina e ficar lá por duas noites, as de 11 e 12 de Dhu'l-Hijjah, e apedrejar três jamarats durante esses dois dias, quando o sol já houver passado de seu zênite. É melhor ir caminhando para os jamarats, mas se for montado é aceitável. Ele deve apedrejar o primeiro jamarah, que é o que está mais distante de Makkah e ao lado do Masjid al-Khif, com sete pedras, uma após a outra, e dizendo "Allaahu akbar" após cada lançamento. Então, deve avançar um pouco e dizer uma longa du'aa, mencionando o que quiser. Se for muito difícil para ele permanecer por um longo tempo e fazer du'aa, ele deve dizer o que for fácil para ele, mesmo que seja pouco, assim ele terá cumprido a Sunnah.

Então ele deve apedrejar o jamarah do meio com sete pedras, uma após a outra, dizendo "Allaahu akbar", em cada lançamento. Então, ele deve virar-se para a esquerda e ficar de frente para a qiblah, levantando as mãos, e oferecendo uma longa du'aa, se puder. Caso contrário, ele deve permanecer por quanto tempo puder. O peregrino não deve deixar de permanecer e fazer du'aa porque é a Sunnah. Muitas pessoas negligenciam isso por ignorância ou porque tomam o assunto com excessiva leviandade. Quanto mais a Sunnah é negligenciada, mais importante se torna cumpri-la e difundi-la entre as pessoas, para que não seja abandonada e morra.

Então o peregrino deve apedrejar o Jamarat al-'Aqabah com sete pedras, uma após a outra, dizendo "Allaahu akbar", em cada lançada, então ele deve ir embora e não oferecer nenhuma du'aa depois disso.

Quando ele completar o apedrejamento do Jamaraat no dia 12 de Dhu'l-Hijjah, se quiser, pode se apressar e deixar Mina, e se preferir, pode adiar sua partida e ficar lá por mais uma noite, a noite do dia 13, e apedrejar os três Jamaraat, após o meio dia, como fez anteriormente. É melhor adiar (sua partida), mas não é obrigatório, a menos que o sol tenha se posto no dia 12 e ele ainda esteja em Mina, caso em que é obrigatório permanecer até que tenha apedrejado os três Jamaraat, depois do meio-dia do dia seguinte. Mas se o sol se puser no dia 12 e ele ainda estiver em Mina, mas não por sua escolha, tal como se ele já tivesse começado a viajar e embarcado em seu meio de transporte, mas atrasou por causa da lotação ou engarrafamento etc., então ele é não é obrigado a permanecer lá, pois o atraso até o por do sol não foi escolha sua.

Quando o peregrino quiser deixar Makkah e voltar para seu país, não deve deixar até que tenha realizado o tawaaf de despedida (tawaaf al-Wadaa’), porque o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse: "Não deveis partir até que a última coisa que façais seja (tawaaf) em torno da casa." Narrado por Muslim, 1327. De acordo com outra versão, ele disse ao povo que a última coisa que deveriam fazer seria (tawaaf) em torno da casa, mas ele fez uma exceção para as mulheres que estavam menstruadas. Narrado por al-Bukhari, 1755; Muslim, 1328.

As mulheres que estão menstruadas ou com sangramento pós-parto não têm que fazer o tawaaf de despedida; nem devem permanecer na porta do al-Masjid al-Haram para se despedirem, porque isso não foi narrado pelo Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele).

A última coisa que o peregrino deve fazer quando quiser partir é circundar a Casa. Se, após o tawaaf de despedida, ele ficar para esperar seus companheiros, carregar a sua bagagem ou comprar algo que ele precisará no caminho, não há nada de errado nisso, e ele não precisa repetir o tawaaf, a menos que tenha a intenção de adiar a sua viagem, tal como se ele pretendesse viajar no início do dia e fizesse o tawaaf de despedida, em seguida, adiasse a sua viagem para o final do dia, por exemplo. Neste caso, ele deve repetir o tawaaf para que seja a última coisa que tenha feito em Makkah.

Nota:

O peregrino que entra em ihram para o Hajj ou 'Umrah deve fazer o seguinte:

1- Aderir ao que Allah ordenou em leis religiosas, como rezar dentro do horário em congregação.

2- Evitar tudo o que Allah proibiu em discursos obscenos e imorais e pecados, porque Allah diz (interpretação do significado):

"E quem neles se propõe a peregrinação, então, não haverá união carnal nem perversidade nem contenda, na peregrinação"

[Al-Baqarah 2: 197]

3- Evitar irritar os muçulmanos com suas palavras ou ações, nos locais sagrados e em outros lugares.

4- Evitar todas as coisas que são proibidas quando em ihram:

a. Assim, ele não deve cortar qualquer parte de seu cabelo ou unhas, mas remover espinhos e similares é permitido, mesmo que isso resulte em algum sangramento.

b. Ele não deve passar perfume depois de entrar em ihram, nem em seu corpo, nem em suas roupas, alimento ou bebida. Não deve se lavar com sabonete perfumado também. Mas se qualquer vestígio de perfume permanecer do que foi usado antes de entrar no ihram, isso não importa.

c. Ele não deve caçar.

d. Não deve ter relações sexuais com sua esposa.

e. Não deve tocá-la com desejo ou beijá-la, etc.

f. Não deve firmar contrato de casamento para si ou arranjar um casamento para qualquer outra pessoa, ou propor casamento a uma mulher para si próprio ou em nome de outros.

g. Não deve usar luvas, mas envolver as mãos em um pedaço de pano não há problema.

Estas sete proibições se aplicam igualmente a homens e mulheres.

As seguintes aplicam-se apenas aos homens:

- Os homens não devem cobrir a cabeça com algo que permaneça na cabeça. Sombrear suas cabeças com guarda-chuvas, teto de carro e tendas, ou carregar esteiras, etc. (sobre a cabeça, quando se deslocam de um lugar para outro), é aceitável.

- Eles não devem usar camisas, turbantes, albornozes, calças ou sapatilhas de couro, a menos que a pessoa não consiga encontrar um izar (tecido que envolve a cintura), em cujo caso ele pode usar calças; e se não conseguir encontrar sandálias, pode usar sapatos.

- Não devem usar qualquer coisa que seja semelhante ao anterior, como abayas, capas, chapéus, camisetas e afins.

- É admissível que os homens usem sandálias, anéis, óculos e aparelhos auditivos, e usem relógios de pulso ou coloquem o relógio em cordões em torno do pescoço, e usem pochetes na cintura para dinheiro.

- É admissível que se lavem com sabonetes sem perfume e cocem suas cabeças e corpos, e se alguns cabelos caírem acidentalmente, como resultado, não há pecado nisso.

As mulheres não devem usar niqaab, que é o que usam para cobrir seus rostos, com buracos abertos para os olhos. Elas não devem usar burqa’ também.

A Sunnah é que descubram seus rostos, a menos que os homens não-mahram possam vê-las, caso em que devem cobrir seus rostos enquanto em ihram e em outras situações.

Veja Manaasik al-Hajj wa'l-'Umrah por al-Albani [disponível em Inglês como The Rites of Hajj e ‘Umrah, publicado pela International Islamic Publishing House, Riyadh]; Sifat al-Hajj wa'l-'Umrah e al-Manhaj li Murid al-'Umrah wa'l-Hajj por Ibn 'Uthaimin (que Allah tenha misericórdia de todos eles).

Islam Q&A


Conselho após o Ramadan
Que conselho vocês podem dar após o Ramadan?

Todos os louvores são para Allah.

Eu me pergunto se a pessoa em jejum continua após o Ramadan para se manter como estava durante o Ramadan, ou se ela é "como aquela que desfazia, em filamento, sua fiação, após retorcida firmemente" [al-Nahl 16:92]? Gostaria de saber se a pessoa que durante o Ramadan estava jejuando, recitando e lendo o Alcorão, dando e gastando com caridade, rezando à noite, fazendo du'aa, ela continuará assim depois do Ramadan, ou seguirá outro caminho, quero dizer, o caminho do Shaitan, no qual ela peca e faz coisas que enraivecem o Clemente, o Misericordioso?

Se um muçulmano continua a ter a paciência para fazer obras justas após o Ramadan, este é um sinal que o seu (jejum) foi aceito pelo seu Senhor, o Mais Generoso, o Doador das bênçãos. Se ele deixar de praticar o bem após o Ramadan, e seguir os caminhos do Shaitan, este é um sinal de humilhação, mesquinhez, estatuto inferior e privação da ajuda de Allah, como disse al-Hasan al-Basri: "Eles já não tinham qualquer significância para Allah, então cometeram pecados. Se tivessem importância para Ele, Ele os teria protegido." Quando uma pessoa se torna insignificante para Allah, Allah já não a honrará. Allah diz (interpretação do significado):

"E aquele, a quem Allah avilta, não terá quem o honre." [al-Hajj 22:18]

O que é surpreendente é que, durante o Ramadan, você vê algumas pessoas que jejuam e oram durante a noite, que dispendem com a caridade e adoram o Senhor dos Mundos, em seguida, tão logo o mês chega ao fim, sua natureza muda completamente, e elas começam a ter uma má atitude para com o seu Senhor. Então, nós as vemos negligenciando a oração e evitando atos virtuosos, cometendo pecados e desobedecendo a Allah de muitas maneiras diferentes, mantendo-se afastadas da obediência para com Allah, O Soberano, O Santificado, Aquele Livre de todos os defeitos.

Como é terrível, por Allah, quando as pessoas só reconhecem Allah no Ramadan!

O muçulmano deve fazer do Ramadan uma oportunidade de virar uma nova página, arrependendo-se, voltando-se para Allah, persistindo na adoração a Allah, estando sempre ciente que Allah está vendo cada minuto de cada hora. Assim, após o Ramadan, os muçulmanos devem continuar a obedecer a Allah e devem evitar o pecado e as más ações, como uma continuação do caminho que trilharam durante o Ramadan e das coisas que faziam para se aproximar do Senhor da criação.

Allah diz (interpretação do significado):

"E cumpre a oração, nos dois extremos do dia e nas primícias da noite. Por certo, as boas obras fazem ir as más obras fazem ir as más obras. Isso é lembrança para os que se lembram de Allah." [Hud 11: 114]

O Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse: "Siga uma má ação com uma boa ação, pois isso vai eliminá-la (a má ação); e tenha uma boa atitude e boas maneiras para com as pessoas".

Sem dúvida, o propósito pelo qual Allah criou todos era o de adorá-Lo unicamente, sem parceiros ou associados. Este é o objetivo final e o maior, que é alcançar a 'ubudiyyah (unificação da divindade – ser um escravo de Allah no sentido mais verdadeiro e completo). Isto foi alcançado da maneira mais bonita durante o Ramadan, quando vimos as pessoas irem para as casas de Allah em grupos e individualmente, e os vimos se esforçando para oferecer as orações obrigatórias a tempo e para dar em caridade, competindo uns com os outros na prática de boas ações. E, portanto, permita que se esforcem (todos) os que querem se esforçar (al-Mutaffifin 83:26), pois eles serão recompensados, ​​inshaAllah. Mas ainda há o caso daqueles a quem Allah mantém firme com a palavra que permanece firme neste mundo e no outro (Ibraahim 14:27). A quem quer que Allah ajude a ser firme em fazer obras justas após o Ramadan, Allah diz (interpretação do significado):

"Quem deseja o poder, saiba que é de Allah todo o poder. A Ele ascendem as palavras benignas; e a boa ação, Ele a eleva. E os que armam maus estratagemas terão veemente castigo. E o estratagema desses falhará" [Faatir 35:10]

Sem dúvida atos justos estão entre os atos que trazem uma pessoa mais perto de Allah em todos os momentos, e o Senhor do Ramadan também é o Senhor de Jumaada e Sha'baan e Dhu'l-Hijjah e Muharram e Safar e todos os outros meses. Isso porque a adoração que Allah nos ordenou inclui cinco pilares, um dos quais é o jejum, em um determinado período, que chega ao fim. Mas ainda há outros pilares, Hajj (peregrinação), oração e zakaah (caridade obrigatória), pelos quais somos responsáveis ​​perante Allah. Temos de desempenhar essas funções de uma maneira que agrade a Allah, e devemos nos esforçar assim para cumprir a finalidade para a qual fomos criados. Allah diz (interpretação do significado):

“E não criei os jinns e os humanos senão para Me adorarem" [al-Dhaariyaat 51:56]

O Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) ensinou seus companheiros a competir na prática do bem, e ele disse: "Um dirham pode pesar mais com Allah do que um dinar, e a melhor das caridades é aquela que um homem dá quando ele é rico." Ele (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) explicou que, se a pessoa dá caridade quando está relutante em fazê-lo e está em boa saúde, mas teme a pobreza, então a caridade pesará fortemente com Allah no saldo de boas ações. Enquanto aquele que demora, então, quando fica doente, começa a gastar na caridade aqui e ali, temendo que suas boas ações sejam rejeitadas, existe o perigo de sua (caridade) não ser aceita – buscamos refúgio em Allah. Allah diz (interpretação do significado):

"Impende a Allah a remissão, apenas, para os que fazem o mal por ignorância, em seguida, logo se voltam arrependidos; então, a esses Allah remitirá. E Allah é Onisciente, Sábio. E a remissão não é para os que fazem más obras até que, no momento em que a morte se apresenta a um deles, diz: ‘Volto-me arrependido, agora’; nem para os que morrem, enquanto renegadores da Fé. Para esses, preparamos doloroso castigo" [al-Nisaa '4: 17-18]

O crente devoto e sincero deve temer a Allah e se esforçar para obedecê-Lo em todos os momentos, persistindo em sua taqwa e sempre se esforçando para fazer o bem, chamando outros para Allah, encorajando o bem e proibindo o mal. Para o crente, seus dias e noites neste mundo são armazéns, então, deixe-o ver o que pode armazenar neles. Se ele armazena coisas boas neles, isto irá testemunhar em seu favor diante de seu Senhor, no Dia da Ressurreição; se ocorre o oposto, então será um desastre para ele. Pedimos a Allah que nos salve e vos salve desta perda.

Os sábios (que Allah tenha misericórdia deles) disseram:

Entre os sinais da aceitação (de boas ações) é que Allah faz com que uma hasanah (boa ação) seja seguida por outra, pois a hasanah diz: "Minha irmã, minha irmã!" E a sayi'ah (má ação) também diz "minha irmã, minha irmã!" – buscamos refúgio em Allah. Se Allah aceitou o Ramadan de uma pessoa, e ela se beneficiou deste período de formação (espiritual) e se manteve firme em obedecer Allah, então ela se juntou à caravana daqueles que permaneceram firmes e responderam a Allah. Allah diz (interpretação do significado):

"Por certo, os que dizem: ‘Nosso Senhor é Allah’, em seguida, são retos, os anjos descerão sobre eles, frequentemente, dizendo: ‘Não temais e não vos entristeçais; e exultai com o Paraíso, que vos era prometido. Somos vossos protetores, na vida terrena e na Derradeira Vida. E tereis, nela, o que vossas almas apetecerem; e tereis nela, o que cobiçardes’." [Fussilat 41: 30-31]

"E quem se alia a Allah e a Seu Mensageiro e aos que creem triunfará, por certo, o partido de Allah é o vencedor" [al-Maa'idah 5:56]

"Por certo, os que dizem: "Nosso Senhor é Allah", em seguida, são retos, então, nada haverá que temer por eles, e eles não se entristecerão" [al-Ahqaaf 46:13]

Esta posição firme deve permanecer de um Ramadan ao próximo, porque o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse: "De uma oração à próxima, de um Ramadan ao outro, de um Hajj ao próximo, isto expia quaisquer (pecados) cometidos entre um e outro, contanto que se evite grandes pecados". E Allah diz (interpretação do significado):

"Se evitais os grandes pecados, de que sois coibidos, remir-vos-emos as más obras e far-vos-emos entrar em entrada nobre.” [an-Nisaa 4:31]

O crente deve se juntar à caravana dos que permanecem firmes e deve embarcar no navio da salvação, desde o momento em que atinge a mais tenra idade de discrição até que dê o seu último suspiro. Deve permanecer à sombra do "La ilaha ill-Allah", apreciando as bênçãos de Allah. Esta religião é a verdade e a forma na qual aderimos firmemente a ela no Ramadan é aquela com a qual Allah nos honra com Sua graça, Sua benevolente bênção e Seu grande favor, para que possamos continuar rezando o qiyaam (oração noturna) e adorando-O após o mês de Ramadan. Não se esqueça, meu irmão, que Allah o abençoou com o I'tikaaf, e Allah o abençoou dando caridade, e Allah o abençoou com o jejum, e Allah o abençoou com a du'aa que foi aceita. Não se esqueça, meu irmão, de cuidar dessas boas ações e deste apoio de Allah, e não as deixe serem dizimadas por más ações. Então, se esforce para cultivar a bondade e a felicidade no seu caminho e esteja em companhia daqueles que permanecem firmes (no Islam), e busque Allah e Seu Mensageiro e o Lar da outra vida, onde lhe será dito: Receba alvíssaras do Paraíso tão largo quanto os céus e a terra, preparado para os piedosos, para você que respondeu ao chamado de Allah; Ó quem procura o bem, continue, pois Allah libertará algumas pessoas do Inferno, e Ó quem procura o mal, desista. E você respondeu às palavras do Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele), "Quem reza à noite durante o Ramadan com fé e esperança na recompensa, seus pecados anteriores serão perdoados. E quem reza à noite durante a Lailat al-Qadr com fé e esperança na recompensa, seus pecados anteriores serão perdoados."

Peço a Allah, que nos e vos abençoou com o jejum, I'tikaaf, 'umrah e caridade que nos abençoe com a orientação, piedade e aceitação das nossas boas obras; que Ele nos ajude a persistir em fazer boas ações e permanecer firmes, pois a persistência em fazer boas ações é uma das maiores formas de se estar mais próximo a Allah. Assim, quando um homem veio ao Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) e disse: "Aconselha-me", ele respondeu, "Diz, ‘Creio em Allah’ e permanece firme." (mutafac alaihi).

De acordo com um relato narrado por Ahmad, ele disse, "Diz ‘creio em Allah’, e então permanece firme." [O homem] disse: "Ó Mensageiro de Allah, todas as pessoas dizem isso." Ele disse: "Algumas pessoas que vieram antes de ti disseram isso, mas eles não permaneceram firmes." Portanto, os crentes devem permanecer firmes em obedecer a Allah:

"Allah torna firmes os que creem, com o firme dito, na vida terrena e na Derradeira Vida. E Allah descaminha os injustos. E Allah faz o que quer" [Ibraahim 14:27 – interpretação do significado]

Aquele que está firme na obediência a Allah é aquele cuja du'aa será respondida, a du'aa que ele repete mais de vinte e cinco vezes por dia, "Guia-nos à senda reta" [al-Fatihah 1:6 – interpretação do significado], que se diz na al-Fatihah. Por que dizemos e acreditamos fortemente que, se permanecermos firmes, Allah nos perdoará, mas ficamos com preguiça de aplicar isso em termos práticos? Devemos temer a Allah e aplicar isso em ação, pensamento e palavra. Devemos nos esforçar no caminho de "ihdinaa al-siraat al-mustaqim (Guia-nos à senda reta)", e devemos percorrer na senda de "iyaaka na'budu wa iyyaaka nasta'in (Só a Ti adoramos, só de Ti imploramos ajuda)" [al-Faatihah 1: 5 - interpretação do significado], à sombra de "ihdinaa al-siraat al-mustaqim (Guia-nos à senda reta )", seguindo a senda que nos levará ao Paraíso da extensão dos céus e da terra, cuja chave é La ilaha ill-Allah. Eu peço a Allah para conceder, a nós e a vós, um bom final.

Após o fim do Ramadan, as pessoas são divididas em vários tipos, dois dos mais proeminentes vou descrever aqui. O primeiro tipo são aquelas pessoas a quem você vê no Ramadan lutando arduamente na adoração. Você nunca as vê, mas elas estão se prostrando ou de pé em oração, ou lendo o Alcorão, ou chorando, tanto que lembram alguns dos adoradores entre os salaf, e você ainda sente compaixão por elas devido à intensidade de seus esforços e empenho. No entanto, nem o mês termina, elas estão de volta à negligência e prática de pecados, como se tivessem sido prisioneiras daquela adoração, então elas voltam sua atenção para os seus desejos e tornam-se negligentes e cometem pecados que pressupõem tirar sua angústia e tristeza. Mas essas pobres pessoas se esquecem que o pecado é a causa da desgraça, porque os pecados são como feridas de guerra, um dos quais pode vir a ser fatal. Quantas vezes o pecado impediu uma pessoa de dizer La ilaha ill-Allah nos estertores de sua morte.

Depois de passar todo este mês, com fé, (lendo) o Alcorão e outros atos de adoração, essas pessoas, em seguida, retrocedem, Laa hawla wa laa quwata illa Billaah (não há poder e força exceto por Allah). Estes são os adoradores ocasionais que só reconhecem Allah em certas ocasiões ou em momentos de calamidade e de angústia, então, após isto, não há mais obediência ou adoração. Que péssimo hábito este!

"O adorador orou por algo que queria, e quando o assunto foi satisfeito, não orou nem jejuou." [Poesia árabe]

Gostaria de saber qual é a razão para adoração durante um mês inteiro, se isso vai ser seguido por um retorno aos hábitos desonrosos?

O segundo tipo são aqueles que se sentem angustiados com a saída do Ramadan, porque provaram a doçura de estarem salvos do pecado, e a amargura da paciência tornou-se insignificante para eles, porque eles perceberam a verdadeira natureza da sua fraqueza e necessidade de seu Mestre (Allah) e sua necessidade de obedecê-Lo. Jejuaram em um verdadeiro sentido e permaneceram em oração durante a noite por amor, então quando eles se despediram do Ramadan, suas lágrimas escorreram e seus corações se partiram. Aqueles dentre eles que estavam sobrecarregados com o pecado esperaram ser libertos do pecado e resgatados do Inferno, e se juntarem à caravana dos que são aceitos. Pergunte a si mesmo, meu irmão: a qual dos dois grupos você pertence?

Por Allah, eles são iguais? Todos os louvores são para Allah, mas a maioria deles não sabe. Os mufassirin disseram, comentando sobre a ayah (na interpretação do significado):

"Dize: ‘Cada qual age conforme sua índole’" [Al-Israa 17:84] - cada pessoa age de acordo com sua maneira ou a personalidade com a qual está acostumada. Esta é a condenação para o descrente e o louvor para o crente.

Você deve saber que as mais queridas das ações para Allah são aquelas que são contínuas, mesmo que seja pouco. O Mensageiro (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse: "Ó povo, vós deveis fazer o que podeis de boas ações, pois Allah não se cansa até vos cansardes. As mais amadas das ações para Allah são aquelas que são contínuas, mesmo que seja pouco. A família de Muhammad (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele), quando fazia algo, insistia em fazer aquilo." Narrado por Muslim.

Quando o Profeta (que a paz e bênçãos de Allah estejam com ele) foi questionado sobre quais ações são mais amadas por Allah, ele disse: "Aquelas que são contínuas, mesmo que sejam poucas."

‘A’isha (que Allah esteja satisfeito com ela) foi questionada sobre o que o Mensageiro de Allah (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele) fazia e se ele costumava fazer certas coisas em dias específicos. Ela disse: "Não, suas boas ações eram contínuas. Quem, dentre vós, poderia fazer o que o Mensageiro de Allah (que a paz e as bênçãos de Allah estejam com ele) costumava fazer?"

Os atos de adoração prescritos no Islam são baseados em certas condições que devem ser cumpridas, como a recordação de Allah, Hajj e 'Umrah e as suas ações naafil, encorajar o que é bom e proibir o que é mau, buscar o conhecimento, jihad, e outras boas ações. Então, esforce-se para adorar continuamente de acordo com sua capacidade.

Que Allah abençoe nosso Profeta Muhammad e sua família e companheiros, e conceda-lhes paz.

Da revista al-Da'wah, edição n° 1774, p. 12


Regra sobre a Crença na Reencarnação
Eu tenho um membro da minha família que acredita na reencarnação. Porém, é uma visão à qual me oponho veementemente. Qual é (se houver) a explicação islâmica por trás disso? Pois eu desejo corrigi-los (eles caíram na fé e talvez isso possa ajudar)?

Todos os louvores são para Allaah. 

O significado de reencarnação ou transmigração das almas é que, quando o corpo morre, a alma se desloca para outro corpo, onde ela será feliz ou miserável como resultado de suas ações anteriores, e, portanto, ela se muda de um corpo para outro. Esta é uma das mais falsas das crenças falsas, e uma das piores formas de kufr ou descrença em Allah, Seus Livros e em Seus Mensageiros. Pois a crença na Próxima Vida, no Juízo Final, no Paraíso e Inferno estão entre as coisas que são bem conhecidas nos ensinamentos dos Mensageiros e nas palavras dos Livros que lhes foram revelados. A crença na reencarnação é equivalente à descrença em tudo isso. 

O entendimento islâmico da Ressurreição é claramente indicado no Livro de Allah e na Sunnah do Seu Mensageiro (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele). Por exemplo, Allah diz (interpretação do significado): 

“Cada alma experimentará a morte. Em seguida, a Nós sereis retornados.” [al-‘Ankabut 29:57] 

“A Ele será o retorno de todos vós. É, deveras, a promessa de Allah. Por certo, Ele inicia a criação; em seguida, repete-a, para recompensar, com justiça, os que crêem e fazem as boas ações. E os que renegam a Fé terão, por bebida, fluídos fervendo, e doloroso castigo, porque renegaram a Fé.” [Yunus 10:4] 

“No Dia, deveremos reunir os piedosos (Muttaqun) até ao mais Misericordioso (Allah), como uma delegação (apresentada perante um rei de honra).

E, Deveremos guiar os criminosos (Mujrimun – politeístas, pecadores, criminosos, descrentes da Unicidade de Allah) para a Geena (Inferno), num estado sedento (como um rebanho sequioso conduzido até à água).”

[Maryam 19:85-86] 

“Por certo, Ele, conhece cada um deles e os contou na sua totalidade.

E, todos eles, no Dia da Ressurreição, Lhe chegarão individualmente (sem nenhum auxílio, protetor ou defensor).” [Maryam 19:94-95]

“Allah, não existe deus senão Ele (Laa ilaaha illa Huwa)! Com certeza, Ele vos juntará no indubitável Dia da Ressurreição.” [al-Nisa’ 4:87] 

“Os que renegam a Fé pretendem que não serão ressuscitados (para o acerto de contas). Diz (Ó Muhammad): Sim! Por meu Senhor, sereis ressuscitados; em seguida, sereis informados (e recompensados) pelo que fizestes. E isso, para Allah, é fácil.” [al-Taghaabun 64:7]

E há outros versículos claros e inequívocos. 

Existem inúmeras referências na Sunnah que mencionam e confirmam a Ressurreição, e dão detalhes a respeito desta. Por exemplo, o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse: “Vocês serão ressuscitados descalços, nus e não circuncisados.” Então ele recitou (interpretação do significado): “Como Nós iniciamos a primeira criação, deveremos repeti-la. (E é) Uma promessa que Nos vincula. Por certo, Deveremos fazê-lo.” [al-Anbiya’ 21:104]. (Então ele disse:) “E o primeiro a ser vestido no Dia da Ressurreição será Ibrahim...” (Narrado por al-Bukhari, 3100; Muslim, 5104)

E o Profeta (que a paz e bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse: “No homem há um osso que não será consumido pela terra, e dele será regenerado no Dia da Ressurreição.” Eles perguntaram, “Qual é esse osso, Ó Mensageiro de Allah?” Ele disse, “O cóccix.” (Narrado por Muslim, 5255) 

E ele disse: “O sol será aproximado da humanidade no Dia da Ressurreição até que ele lhes esteja tão próximo quanto um meel.” Salim ibn ‘Aamir [um dos narradores deste hadith] disse: “Por Allah, não sei se por meel ele quis dizer uma distância na terra (uma milha) ou o palito com o qual se aplica o kohl nos olhos. O Profeta (que a paz e bênçãos de Allah esteja sobre ele) disse: “Então as pessoas ficarão submersas em suor de acordo com seus atos; alguns estarão com suor até seus tornozelos, outros até seus joelhos , alguns até suas virilhas e outros até suas mandíbulas.” Ele disse: e o Mensageiro de Allah (que a paz e bênçãos de Allah estejam sobre ele) apontou para a sua boca. (Narrado por Muslim, 5108)

E ele disse: “Chegarei ao portão do Paraíso no Dia da Ressurreição e pedirei para que seja aberto. O guardião do portão perguntará. “Quem és?” Eu direi: “Muhammad.” Ele dirá, “Fui comandado a não abri-lo para ninguém antes de ti.” (narrado por Muslim, 292) 

E existem outros ahadith similares. 

A ideia da transmigração das almas é uma rejeição destes textos e uma negação do Dia da Ressureição. 

Os ensinamentos islâmicos relacionados ao tormento ou bênção no túmulo e o questionamento dos dois anjos claramente provam que a alma do homem não se muda para outro corpo, pelo contrário, ela e o corpo experimentam tormento ou bênção, até que a humanidade seja reunida ao seu Senhor. 

O Imam Ibn Hazm (que Allah tenha misericórdia dele) disse: “É refutação suficiente da sua ideia, notar que há consenso entre todos os muçulmanos de que eles são kaafirs e aqueles que acreditam nesta ideia estão seguindo outra coisa que não o Islam, e que o Profeta (que a paz e bênçãos de Allah estejam sobre ele) ensinou algo diferente disto.” (al-Fasl fi’l-Milal wa’l-Ahwa’ wa’l-Nihal, 1/166). 

A crença de que o corpo irá perecer e não será restaurado para experimentar as bênçãos ou punições é um meio que levará o homem a ceder aos desejos, à transgressão e ao mal. É isto que o Shaytaan quer para aqueles que seguem esta crença corrupta, além de empurrá-los para mais fundo no kufr quando ele os faz acreditar nesta falsa idéia. 

O que você deve fazer é aconselhar esta pessoa e relembrá-la das palavras de Allah e das palavras do Seu Mensageiro (que a paz e bênçãos de Allah estejam sobre ele), e chamá-la a se arrepender deste kufr. Se ela se arrepender e se voltar a Allah, tudo muito bem, caso contrário, mantenha-se afastado desta pessoa e advirta outros sobre dar-lhe ouvidos e diga para as pessoas que você rejeita as crenças desta pessoa, para que os outros não sejam enganados por ela. 

E Allah sabe melhor.

Sheikh Muhammed Salih Al-Munajjid


A fé aumenta e diminui de acordo com Ahl al-Sunnah wa'l-Jama'ah?
Qual é a definição de iman (fé) de acordo com Ahl al-Sunnah wa’l-Jama’ah? Esta aumenta e diminui?

Louvado seja Allah.

De acordo com a Ahl al-Sunnah wa'l-Jama'ah, iman (fé) é "crença no coração, palavras na língua e ações do corpo". Isso inclui três coisas: 

1. A crença no coração 

2. Palavras na língua 

3. Ações do corpo

 Uma vez que este é o caso, então ela irá aumentar e diminuir. Isso porque o grau de crença no coração difere de uma pessoa para outra. Acreditar no que alguém diz não é o mesmo que acreditar em algo que você vê com seus próprios olhos. Acreditar no que uma pessoa diz não é o mesmo que acreditar no que duas pessoas dizem, e assim por diante. Assim, Ibrahim (que a paz esteja com ele) disse: 

"Senhor meu! Faze-me ver como dás a vida aos mortos." Allah disse: "E não crês ainda?" Abraão disse; "Sim, mas é para que meu coração se tranquilize." [al -Baqarah 2: 260] 

O iman pode aumentar no que diz respeito à crença, contentamento e tranquilidade no coração. A pessoa pode sentir isso em si mesma quando ela frequenta reuniões de dhikr onde ele ouve uma lição. Lembrar o Paraíso e o Inferno aumenta o iman ao ponto de ser como se você pudesse vê-los com seus próprios olhos. Mas quando uma pessoa é negligente e deixa esses encontros ou reuniões, esta certa fé é reduzida em seu coração. 

O iman no sentido de palavras pode aumentar de forma semelhante. Quem se lembra de Allah algumas vezes não é como aquele que se lembra d'Ele cem vezes. Este último é muito melhor no iman. 

E quem faz um ato de adoração de uma maneira perfeita terá mais fé do que aquele que o faz de forma imperfeita. 

O mesmo se aplica a ações virtuosas. Se uma pessoa faz mais boas ações fisicamente do que outra, aquela que faz mais terá mais iman do que aquela que faz menos. Isto é afirmado no Alcorão e na Sunnah – refiro-me ao fato de que o iman pode aumentar ou diminuir. Allah diz (interpretação do significado): 

"E não fizemos seu número senão como provação para os que renegam a Fé, para que aqueles aos quais fora concedido o Livro se convençam disso; e para que os que crêem se acrescentem em fé." [al-Muddaththir 74:31] 

"E, quando se faz descer uma sura, há dentre eles quem diga: 'A quem de vós esta sura acrescentou Fé?' então, quanto aos que crêem, esta lhes acrescenta Fé, enquanto exultam. E quanto àqueles em cujos corações há enfermidade, ela lhes acrescenta abominação sobre sua abominação, e morrem, enquanto renegadores da Fé." [al-Tawbah 9: 124-125] 

De acordo com um hadith sahih, o Profeta (que a paz e bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse: "Eu nunca vi mulheres mais carentes de razão e fé que tenham um impacto mais negativo sobre a mente de um homem sério do que vocês" 

Assim, o iman pode aumentar e diminuir.

Majmu 'Fatawa wa Rasa'il Fadilat al-Shaykh Muhammad ibn Salih al-'Uthaymin (que Allah tenha misericórdia dele), vol. 1, p. 49)


Iblis é um Jinn ou um Anjo?
Eu estava me perguntando se Iblis seria na verdade um jinn ou um anjo. Esta questão específica recentemente despertou minha curiosidade, quando esta me foi apresentada por uma pessoa que conheço. Se ele é um anjo, então como é que ele desobedeceu a Allah, quando os anjos não têm vontade própria e seguem apenas a ordem de Allah? Se ele é realmente um jinn, então a sua desobediência estaria explicada, pois assim ele realmente tinha a opção de obedecer ou desobedecer a Allah. Gostaria muito de receber uma resposta, mesmo que seja breve.

Louvado seja Allah.

Iblis – que Allah o amaldiçoe – é um dos jinn. Ele não foi um anjo nem por um só dia, nem mesmo por um instante. Os anjos foram criados como seres nobres; eles nunca desobedecem a Allah quando Ele ordena que eles façam alguma coisa e eles fazem o que lhes é ordenado. Isto é claramente indicado nos textos corânicos que indicam que Iblis é um dos jinn e não um dos anjos. Estes textos incluem o seguinte: 

1. Allah diz (interpretação do significado): 

"E quando dissemos aos anjos: 'Prosternai-vos diante de Adão'; então, eles se prosternaram, exceto Iblis. Ele era dos jinn, e desobedeceu a ordem de seu Senhor. Então, vós tomai-lo e à sua descendência, por aliados, em vez de Mim, enquanto eles vos são inimigos? Que execrável troca para os injustos!" [18:50] 

 2. Allah declarou que Ele criou os jinn do fogo, como Ele diz (interpretação do significado): 

"E os jinn, criamo-los, antes, do fogo do Samum (vento abrasador, que penetra os poros)." [15:27]

 "E criou o jinn de pura chama de fogo." [55:15] 

E foi narrado em um hadith sahih (relato autêntico) que 'A'isha (que Allah esteja satisfeito com ela) disse: O Mensageiro de Allah (que a paz e bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse: "Os anjos foram criados a partir de luz, os jinn foram criados a partir de fogo sem fumaça e Adão foi criado a partir do que vos foi descrito." [Muslim, Ahmad, al-Bayhaqi e Ibn Hibban]. 

Um dos atributos dos anjos é que eles foram criados a partir de luz, e os jinn foram criados a partir de fogo. Foi mencionado no Alcorão que Iblis – que Allah o amaldiçoe – foi criado a partir de fogo. Isto é o que o próprio Iblis disse quando Allah, que Ele seja glorificado e exaltado, lhe perguntou sobre o motivo de sua recusa em prostrar para Adam quando Allah lhe ordenou a fazê-lo. Ele – que Allah o amaldiçoe – disse:

"Sou melhor que ele. Criaste-me de fogo e criaste-o de barro." [7:12, 38:76 – interpretação do significado]. Isso indica que ele é um dos jinn. 

3. Allah descreveu os anjos em seu Livro, onde Ele diz (interpretação do significado): 

"Ó vós que credes! Guardai-vos, a vós mesmos e a vossas famílias, de um Fogo, cujo combustível são os homens e as pedras; sobre ele, haverá anjos irredutíveis, severos: não desobedecem a Allah, à Sua ordem, e fazem o que lhes é ordenado." [66:6] 

"E dizem: 'O Misericordioso tomou para Si um filho. ' Glorificado seja Ele! Mas eles (os anjos) são Seus servos honrados. Não O antecipam no dito e atuam por Sua ordem." [21:26-27]. 

"E, diante de Allah, prosterna-se o que há nos céus e o que há na terra de ser animal, e também os anjos, e eles não se ensoberbecem. Eles temem seu Senhor, acima deles, e fazem o que lhes é ordenado." [16:49-50] 

Portanto, não é possível aos anjos desobedecerem a seu Senhor, porque eles estão protegidos contra o pecado e eles estão naturalmente inclinados a obedecer a Allah. 

4. O facto de Iblis não ser um dos anjos significa que ele não é compelido a obedecer a Allah. Ele tem a liberdade de escolha, assim como nós, seres humanos, temos. Allah diz (interpretação do significado): 

"Por certo, guiamo-lo ao caminho, fosse grato, fosse ingrato." [76:3] 

também muçulmanos e kuffar (não muçulmanos) entre os jinn. É dito na Surat al-Jinn (interpretação do significado): 

"Dize: 'Foi-me revelado que um pequeno grupo de jinn ouviu minha recitação; então, disseram: 'Por certo, ouvimos uma Recitação admirável!' Ela guia à retidão: então, nela cremos. E não associaremos ninguém a nosso Senhor.'" [72:1-2]. 

Na mesma Surah (capítulo), é afirmado que os jinn disseram: 

"E que: 'Ao ouvirmos a Orientação, nela cremos. Então, quem crê em seu Senhor não temerá subtração nem aflição.' E que: ', entre nós, os muslims, e há, entre nós, os iníquos...'" [72:13-14] 

Ibn Kathir (que Allah tenha misericórdia dele) disse em sua exegese: 

Al-Hasan al-Basri disse: Iblis não era um dos anjos, nem mesmo por um único momento. Ele é o pai dos jinn, assim como Adão (que a paz esteja com ele) é o pai da humanidade. Isso foi narrado por al-Tabari com um isnad sahih (cadeia autêntica). 

Alguns dos estudiosos disseram que Iblis era um dos anjos, que ele era o pavão dos anjos, que ele era o único entre os anjos que se esforçava ainda mais na adoração... e outros relatos, a maioria dos quais vêm das Israiliyyat (histórias e relatos de fontes judaicas), e alguns dos quais contradizem os textos claros do Alcorão. 

Ibn Kathir disse, explicando isto: 

"Muitos desses relatos foram transmitidos dos Salaf (predecessores piedosos), e a maioria deles vem das Israiliyyat, que podem ter sido transmitidas a fim de serem examinadas [isto é, em vez de ser aceito como é]. Allah sabe mais sobre a veracidade ou não de muitas delas. Algumas delas devem, definitivamente, ser rejeitadas, porque vão contra a verdade que temos em nossas mãos. No Alcorão, temos o que é suficiente, assim não temos nenhuma necessidade dos relatos anteriores, porque dificilmente algum deles estarão livres de distorções, com as coisas acrescentadas ou retiradas. Muitas coisas foram fabricadas neles, porque eles não tinham pessoas com coisas memorizadas precisamente e de cor (huffaz) que poderiam eliminar as distorções criadas por extremistas e fabricantes, ao contrário desta ummah (nação), que tem seus imams (líderes religiosos), estudiosos, mestres, pessoas piedosas e justas, críticos brilhantes e homens de excelente memória que gravaram os ahadith (relatos) e classificaram-nos, indicando se eles são sahih (autênticos), Hasan (razoáveis), Da'if (fracos), mawdu' (fabricados) ou matruk (a ser ignorados). Eles identificaram os fabricantes e mentirosos, e aqueles quanto aos quais nada se sabia, e outros tipos de homens (ou seja, narradores). Tudo isso deu proteção ao Profeta (que a paz e bênçãos de Allah estejam sobre ele), o selo dos Mensageiros e líder da Humanidade, para que nada pudesse ser atribuído a ele falsamente e para que nada fosse transmitido dele que não fosse verdadeiro. Que Allah esteja satisfeito com eles e os torne satisfeitos [recompensando-os], e faça o Paraíso de al-Firdaws sua morada eterna. (Tafsir al-Quran il-'Azim). 

E Allah sabe mais.

Sheikh Muhammed Salih Al-Munajjid


O que é 'Aqidah?
O que é aqidah? Solicito-lhes, gentilmente, que me expliquem.

Louvado seja Allah.

Aqidah se refere aos assuntos relacionados ao que diz respeito à crença, com certeza e convicção, no coração e na alma da pessoa. Eles não estão contaminados com qualquer dúvida ou incerteza.

A palavra árabe Aqidah deriva da raiz 'aqada, que transmite significados como segurança, afirmação, confirmação, etc. No Alcorão, Allah diz (interpretação do significado):

"Allah não vos culpa pela frivolidade em vossos juramentos, mas vos culpa pelos juramentos intencionais não cumpridos (bimaa 'aqqadtum al-aymaan)..." Al-Maa'idah 5:89]

O verbo aqui parafraseado como "juramentos intencionais" é aqqada/ta'qid, que se refere àquelas situações quando há determinação no coração. Pode-se dizer, em árabe, ‘aqada'l-Habl (a corda foi amarrada), ou seja, foi bem apertada. A palavra I'tiqaad (crença), também é derivada dessa raiz, e tem o significado de amarrar e firmar. A frase a'taqadtu kadhaa (creio que tal e tal) significa: Estou convencido disso em meu coração; esta é uma convicção racional.

No Islam, 'Aqidah é um assunto do conhecimento. O muçulmano deve crer em seu coração e ter fé e convicção, sem dúvidas ou receios, pois Allah mencionou a 'Aqidah em Seu Livro e através de Suas revelações a Seu Mensageiro (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele).

Os princípios de 'Aqidah são aqueles nos quais Allah nos ordenou crer, como mencionado na ayah (interpretação do significado):

"O Mensageiro crê no que foi descido para ele, de seu Senhor, e assim também, os crentes. Todos creem em Allah e em Seus anjos e em Seus Livros e em Seus Mensageiros. E dizem: ‘Não fazemos distinção entre nenhum de Seus Mensageiros' E dizem: 'Ouvimos e obedecemos. Rogamos Teu perdão, Senhor nosso! E a Ti será o destino'" [al-Baqarah 2: 285].

- E, tal como definido pelo Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) no famoso hadith que descreve como Jibril veio até ele e perguntou-lhe sobre o Islam etc.: "Iman (fé) é crer em Allah, Seus anjos, Seus livros, no encontro com Ele no Derradeiro Dia, Seus mensageiros e no Dia da Ressurreição."

Assim, no Islam, 'Aqidah se refere às questões que são conhecidas a partir do Qur’an e ahaadith, e que o muçulmano deve acreditar em seu coração, como reconhecimento à Verdade de Allah e Seu Mensageiro.

Fonte: Sharh Lam'ah al-I'tiqaad por Ibn al-Uthaimin, e al-'Aqeidah fi-Allah, por 'Umar al-Ashqar
التوبة وشروطها